Why so serious? « Agile Way


30 de Janeiro de 2009

Why so serious?

O Coringa virou gerente de projetos? Nada disso. Apenas falou uma frase que tem tudo a ver com o nosso dia-a-dia.
Essa talvez tenha sido a frase do ano. Para quem não sabe, é uma das frases famosas do filme do Batman, pronunciada pelo Coringa.

Essa frase pode ser aplicada no nosso dia-a-dia de trabalho. Why so serious? Por que nós, gerentes, temos que ser tão formais ou frios com nossos subordinados?

Eu acredito que um bom ambiente de trabalho se inicia pela postura dos líderes ou, em alguns casos, chefes. Se você quer um ambiente descontraído é primordial que os líderes tenham uma postura mais descontraída. Um ambiente mais sério, pede líderes mais sérios. Isso depende de cada empresa e, principalmente, da cultura delas.

Onde eu trabalho temos a visão descontraída. Temos eventos descontraídos, temos líderes (gerentes e diretores) descontraídos, temos colaboradores descontraídos. E funciona! Salvo um ou outro caso de “esquecimento” da diferença entre descontração e profissionalismo (quando se confundem), o que é bastante raro.

Escrevo este post pois me deparo, de vez em quando, com pessoas em cargos de liderança e que acham que para ganhar o respeito de seus subordinados precisam ser (ou parecer) sérios, formais… as vezes até mesmo bravos (!). E então o ambiente de trabalho, que já é estressante por si só, acaba tendo mais uma carga de energia desnecessária, levando à insatisfação de todos os envolvidos. São pessoas que parecem ainda não entender a diferença entre líderes e chefes.

Você não sabe, também? Então vou citar quatro.

O líder delega. O chefe manda.

O líder escuta. O chefe fala.

O líder negocia. O chefe tem poder.

O líder inspira. O chefe amedronta.

O caso é que normalmente as pessoas seguem os líderes por acreditarem naquilo que ele acredita. Peguem como exemplo o caso de líder mais famoso da história: Jesus. Por acaso ele mandou que todos o seguissem, senão Deus demitiria os infiéis? :)

O líder precisa agir dessa forma sempre. Mas antes de tudo precisa de fato acreditar no que está fazendo, caso contrário ninguém mais o fará. Ser positivo é outra característica essencial. Mas atenção: ser positivo é diferente de ser otimista.

E é neste ponto que entra a frase “why so serious?“. Se precisamos ser positivos, se precisamos garantir que nossos colaboradores estejam satisfeitos, por que temos que ser tão sérios e formais? Por que não causar alguns fatos novos e inesperados durante o dia-a-dia, por idéia nossa e sem visar notoriedade, mas sim o bem estar de todos?

Nesta última sexta-feira, por exemplo, eu planejei chegar mais cedo ao trabalho. Comprei 6 caixas de chocolate Bis e deixei dois tabletes na mesa de cada pessoa da empresa. Sem dizer nada para ninguém (apenas pedindo aos que já estavam no local que não dissessem que havia sido eu). O resultado foi muito bacana. Todos ficaram curiosos e especulando quem havia feito aquilo. Foram alguns reais que eu gastei do meu bolso, mas que gerou um resultado que valeu muitíssimo a pena. Não pretendo revelar que sou eu. Mas pretendo repetir isso periodicamente. Apenas pelo prazer de causar uma sensação diferente no ambiente de trabalho.

A minha empresa faz isso volta-e-meia. E como isso influencia no ambiente. Tanto é que as pessoas votaram como sendo uma das coisas que mais gostam no trabalho, exatamente o ambiente de trabalho. Isso não tem preço.

Mas a pergunta final fica para você: why so serious? Você já fez ou fará algo diferente pela sua equipe, apenas para vê-los felizes e estimulados?

Eu garanto, vale a pena! Para ambas as partes.

Uma ótima semana.



3 Comentários para “Why so serious?”

  1. Derlon diz:

    Meu, kamarada

    P/ ser sincero, nunca tinha pensado nisso! :o Como coisas muito simples são tão efetivas para dar 1 motivação a + p/ a equipe, principalmente se as coisas NÃO vão tão bem. Um estímulo como este pode fazer a diferença!! ;-))

  2. Ricardo Coelho diz:

    Realmente as pessoas precisam enxergar isso de vez. o ambiente tem que ser colaborativo e não autoritário, top-down.
    E é realmente legal ver como coisas simples podem mudar o ambiente… por exemplo, no primeiro projeto que consegui convencer os chefes a usar scrum na empresa, comprei um monte de doces e botei na base do Kanban… funcionava assim, toda vez que alguém fosse “baixar” um post-it, pegava alguns doces… é incrivel como o pessoal gostou… ficou divertido… a cada post-it o pessoal vibrava… rsrs… e quebrou um pouco o clima de pressão que o projeto tinha, aliviou a tensão do pessoal, foi bem legal.

    Abraço.

    Abraço.

  3. Hugo Alves diz:

    Conquistar os membros da equipe e motivá-los a trabalhar para alcançar sempre resultado de qualidade de forma colaborativa. Eu acredito nisso!

Comentar